terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Fotos da culminância

A Educação é um barco que navega em águas desconhecidas, em cada porto um desembarque e a cada novo embarque novas expectativas.

Apresentei as curvas da vida com o nome do projeto

Nossas produções feitas com material improvisado, mas bem organizadas
Árvore geneaógica cronológica, atividade adaptada
Árvore genealógica
Desenho-narração, atividade adaptada
A música que faa de mim, atividade adaptada
Todos os alunos atentos à minha apresentação e à fala dos convidados
A aluna Maria Cícera ofertou sua arte para Keith
momento de comemorar todos os aniversários deste ano




 E, com a frase acima (de minha autoria) sintetizo um trabalho de meses que me fez feliz, que ficará gravado nas minhas memórias. 
Cada dificuldade valeu para ensinar uma lição e delas vieram alegrias, pois uma sementinha foi plantada e terá tempo para germinar, florescer e frutificar cada uma dessas vidas.


MANEIRAS DE ENSINAR

sábado, 27 de dezembro de 2014

Culminância do Projeto Minha História Vou Contar


5. No dia 04 de Dezembro aconteceu a culminância do Projeto Minha História Vou Contar, com a presença de pessoas fantásticas e competentes profissionais da SEMED.
Recebi palavras de apoio e incentivo dos convidados e da diretora da escola, Marineusa. 
Na sequência houve premição para a aluna Elisandra Gama destaque no desenho-narração (1º lugar),  e para o aluno Ednaldo Pereira "contador de história" (2º lugar), mas o prêmio maior foi a sensação do dever cumprido. De ver que é possível sim levar conhecimento para toda e qualquer pessoa, em qualquer idade que deseja somente APRENDER um pouquinho mais.

Keith Guimarães, coordenadora pedgógica da SEMED (na direita) e Eu 





















recebendo palavras de incentivo do nobre colega Enaldo




Nadijane, supervisora escolar, entregando o prêmio para o aluno Ednaldo Pereira

na ponta,à esquerda, Catarina (coordenadora geral da EJA) responsável pedagógica pelo projeto

Em nome dos profissionais de educação da Secretaria Municipal de Penedo, agradeço a todos os meus alunos por terem abraçado meu trabalho e contribuido tanto para novas prendizagens durante todo este ano letivo de 2014. Todos que aparecem nestas imagens foram fundamental importância para que tudo corressem bem e àqueles não aprecem deixo o meu mais sincero sentimento de AGRADECIMENTO!


MANEIRAS DE ENSINAR

domingo, 14 de dezembro de 2014

Atividades do Projeto Minha História Vou Contar

Foi bom trabalhar este projeto por várias razões, uma delas foi não ter de fazer dois planejamentos. Apenas adaptei as atividades dos planos de aula e dei sequência ao que já havia programado.

4.Observamos os tipos de paisagens nas diferentes horas do dia e a interferência humana




Vista frontal da escola: tarde ensolarada


Vista lateral: à noite não temos esta imagem


visitamos a horta da educação na Semed



A interferência humana positiva na natureza




PS: À noite também observamos a paisagem e fizemos o registro com desenhos, mas não tiramos fotos deles.



MANEIRAS DE ENSINAR

sábado, 13 de dezembro de 2014

Atividades do Projeto Minha História Vou Contar

Como disse no post anterior, tive mesmo que fazer uma sequência de postagens para apresentar nosso trabalho em sala de aula... Deu tra-ba-lhooo, mas foi delicioso fazer!

2.Organizamos nossas atividades











3. Brincamos de desenhar,recortar e montar quebra-cabeças




Lenda de N. Senhora Aparecida das Águas do Parnaíba

MANEIRAS DE ENSINAR

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Atividades do Projeto Minha História Vou Contar

Exposição de atividades mostrando o que fizemos em 2014.
Fizemos tanto que nem deu pra mostrar tuudo!

1.Arte Figurativa





Imagens do celular da aluna Maria Cícera






Terei de fazer mais algumas postagens somente para mostrar uma síntese daquilo que trabalhamos em sala durante o período deste projeto que tanto nos ensinou.


MANEIRAS DE ENSINAR

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Onde está o Resultado?










Karina fez algumas fichinhas para ajudar seu irmão a compreender as operações matemáticas.

À tardinha foram para a sala fazer as atividades que a professora mandou para casa.

Karina sentada ao lado de Carlisson, pedia que falasse o que não entendia.

Carlisson respondeu que lidar com números é uma tremenda agonia.

Foi então que ela lhe mostrou algumas fichas feitas com cartolina lilás, em forma  retangular. Os cálculos foram transcritos com giz de cera marromp ara as adições; em verde as subtrações. Até que os números ficaram mais bonitos e atrativos.

Seu irmão viu que aquelas continhas eram as mesmas de seu caderno, na capa grossa tinha um lindo ursinho todo amarelo.

Ele então disse meio desconfiado:

-As continhas estão bonitas, mas ainda não sei onde estão os resultados.

Karina disse em tom de falsa reprovação:

-Mas que malandrinho, pensa que vou responder por você?!

-Veja as fichinhas com atenção, estou aqui para facilitar sua compreensão.

Assim, organizou as adições de um lado e as subtrações do outro. No meio deixou os resultados misturados, separados por cores.

Foi aí que seu irmão começou a compreender: teria de calcular mentalmente, comunicar o resultado à Karina e confirmar com as fichinhas ali presentes.

Ao terminar, ele percebeu que os números até são legais. Basta ter um pouquinho mais de atenção. Guardou o material, lavou as mãos e foram jantar. Logo mais era hora de dormir para de manhã recomeçar.

Karina lhe mostrou que aprender matemática pode ser divetido e até colorido.




 



MANEIRAS DE ENSINAR

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Contando...agrupando




Conto de um em um

Conheço as unidades

Conto de dez em dez

Conheço as dezenas

Conto de cem em cem

Aparecem as centenas

Conto de mil em mil

Vem os milhares


Um turbilhão de emoções
Que confusão!

Conto, agrupo, confundo
Esqueço tudo num segundo

De um em um, unidades
De dez em dez, dezenas (sem problemas!)
De cem em cem, centenas
De mil em mil...explodiu!




MANEIRAS DE ENSINAR

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

O Baile dos Números



 


O alvoroço era grande, os números tinham se organizado em pares. Até que apareceu o Sr. Zero dizendo que era  preciso mudar de par. Todos iriam fazer uma coreografia que exigia troca-troca de lugar.

Senhorita Treze não gostou, porque treze ao contrário é trinta e um. Disse toda metida:

-Não danço isso de modo algum!

O Quinze meio aperreado, quis entender o “babado”, ao que cauteloso respondeu:

-Acho melhor termos cuidado! Não é boa ideia deixar de ser o número dos sonhos dourados das meninas para virar quinze ao contrário.

Então, meteu-se na conversa o número que mais gosta de inversão e deu leveza àquela confusão.

-Gente, quanta zuada por uma simples brincadeira. Comigo não tem besteira Seja de baixo pra cima, seja de cima pra baixo, a posição nunca muda o resultado.

-Esta proeza não é somente sua, meu caro!

Da direita para a esquerda... da esquerda para a direita, números repetidos não tem valor diminuído ou acrescido. Respondeu todo empolgado o Setenta e Sete, deixando  o  Meia-Nove sem graça.

 Mesmo assim, forçou uma risada e desceu as escadas. Deixando seus colegas num reinício de confusão.

O baile foi um arraso total, foi manchete nas mídias escritas e faladas. Todos tinham uma opinião. Todos queriam palpitar. Houve muitos números que lamentaram não poder participar.



MANEIRAS DE ENSINAR